Entendendo os Bebês: Por Que Eles Mamam? Como Compreender a Sexualidade Deles e Não Traumatizá-los?


Freud abalou a sociedade conservadora do século XIX quando disse que os bebês se desenvolvem a partir da sexualidade. E esta é que faz eles mamarem, controlarem a evacuação, sentirem ciúmes da mãe ou do pai e ainda se desenvolverem plenamente para a fase adulta. Veja como tudo isso acontece:


A fase oral (0 a 18 meses): É a responsável por fazerem os bebês mamarem, pois a boca, a língua e os lábios são os primeiros centros de prazer deles. Essa necessidade é suprida através da mama ou da chupeta e não deve ser interrompida ou encurtada. Considere que essa fase pode ir até os dezoito meses, depois disso ela pode ser paralisade gradualmente, até mesmo porque chupeta depois de algum tempo pode ser prejudicial até para os dentes da criança.

A fase anal (18 meses a 2 ou 3 anos): A criança sente prazer na produção das fezes, pois estas fazem parte das fantasias elaboradas pela criança sobre os produtos realmente dela.

Você, mamãe, sabendo que o seu filho ou a sua filha sente prazer na produção das fezes, leve em conta que uma advertência sua pode fazer com que a criança sinta-se rejeitada. Mostre-se contente quando a criança começar, sozinha, a fazer seu cocozinho no banheiro, pois para ela estará produzindo algo dela mesma para o mundo.


A próxima fase é responsável por fazer com que o menino passa a sentir ciúmes da mãe e a menina do pai. É a chamada fase fálica, (que se dá aos dois ou três anos a cinco ou seis anos): Nesta fase, a libido está concentrado nas áreas genitais e inicia-se o triângulo amoroso entre pai, mãe e criança. O menino é sentido como o adversário do pai, que pelo qual não poderá lutar. Ele sentirá isso por querer exclusivamente a mãe. Tendo o pênis como o elemento mais valorizado pelo garoto e se o ponto de competição com o pai for a erotização, será lógica que na fantasia infantil, o pai o castigue no ponto principal do conflito, ou seja, a castração do pênis do menino.

As meninas também terão a mesma fantasia, porém o ponto de valorização será a vagina e o seu inimigo principal será a própria mãe a sua principal conquista será o pai.

Tanto com os meninos quanto com as meninas, os pais devem compreender a criança e entrar em diálogo sobre a fantasia dela. Eles devem dizer, por exemplo, que o menino terá todo o amor da mãe e que ela nunca irá rejeitá-la, mas que também ela é do pai e não somente do filho. A garota também deve saber que apesar de não ser rejeitada pelo pai, este também é da mãe. Isso cria um limite nas crises das meninas em relação ao pai e dos garotos em relação à mãe. O ciúme é essencialmente normal, - seria anormal se ela não tiver, mas isso não significa que não tenha que haver o controle e o diálogo, afinal as crianças entendem os sentimentos mesmo não tendo muitos conhecimentos da razão e da lógica.


Período de Latência (cinco ou seis anos até a puberdade): Com a repressão da energia que originou a fantasia pela mãe ou pelo pai, a libido fica temporariamente deslocada de seus objetivos sexuais. Podemos dizer que ocorreu um início de repressão sexual. As energias sexuais são deslocadas para a realização de outras atividades. Isto faz com que as crianças fiquem agitadas e não consigam ficar por muito tempo quietas em um determinado lugar. Por isso é errado os pais obrigarem os filhos destas idades a ficarem quietos ou impedir que realizem suas brincadeiras e atividades normais para uma criança com essa idade.


Na adolescência é atingida a última fase, denominada fase genital, que ocorre depois da puberdade, ou seja, aproximadamente aos 12 anos:

Nessa fase o objeto de erotização não está mais no próprio corpo, mas no objeto externo ao indivíduo; no outro. Neste momento as meninas e meninas estão conscientes de suas identidades sexuais e começam a buscar formas de satisfazer suas necessidades eróticas pelas outras pessoas do sexo oposto.

Por isso é normal ocorrer a famosa masturbação. O ideal é que os pais, juntos, informem que isso é normal, pois a criança pode achar que isso é algo proibido e anormal, dando muitas das vezes os sentimentos de culpa para ela. E o ideal é fornecerem as informações juntos para que os filhos não se sintam rejeitados pelo fato da mãe (do pai), por exemplo, não estar junto quando o pai (a mãe) conversou sobre isso com o garoto (a garota). Cria um sentimento de que a mãe ou o pai não se interessa pelas transformações sexuais e a criança no futuro, poderá achar que o pai ou a mãe é que tem mais razão e não irá dar atenção ao que o outro diz;, fazendo com que ele não respeite o pai e a mãe da mesma maneira, podendo até estender esse sentimento para as outras áreas que não seja do seu próprio corpo e da sexualidade.

O papel dos pais em todas as fases é compreender a criança, pois se uma delas não forem desenvolvidas corretamente, seja através da rejeição da mãe ou do pai ou por falta de carinho e atenção, poderá originar traumas que serão presentes durante toda a vida do indivíduo. O interrompimento, por exemplo, de uma das fases pode fazer com que a pessoa fique a vida toda presa nela ou ainda sentir-se rejeitado pelo mundo quando não foi dada devida atenção e carinho quando ele sentiu necessidade de se expressar através das fezes; afinal quando bebê ele achava que estava produzindo algo de si próprio para o mundo. O indivíduo pode até não se lembrar, mas estará registrado eu seu inconsciente e este irá fazer a ligação com o momento do trauma, manifestando-o.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. nossa!
    Muito legal mesmo!
    Esse "tutorial" é muito útil,pois oq é mais comum hoje em dia são crianças que não obdecem aos pais ou então só obdecem a um dos dois!
    MUITO BOM MESMO!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo post. Ajudou eu a esclarecer muitas dúvidas.^^

    ResponderExcluir

- Sem palavrões
- Deixe seu e-mail para que avise a você quando tiver respondido o seu comentário

Seu comentário é muito importante! Faça sua pergunta e irei te responder assim que possível!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...