Retornando Para um Antigo Amor - parte 2 - Conto



Cada beijo, cada abraço, a imagem dela deitada de calcinha com a blusa do colégio, tudo isso passou na mente dele antes de tomar coragem para abrir a grande porta. Respirou profundamente e se estivesse que escolher o momento mais tenso de sua vida, aquele minuto seria o mais marcante. 

Abriu a grande porta e os seus olhares instantaneamente se direcionaram para ela, que estava liderando os músicos com a batuta olhando para um grande livro onde estavam as notas musicais da canção tocada. Ela olhou para ele e parecia não acreditar no que estava vendo, imobilizada pela surpresa, o movimento da batuta pararam e logo os músicos se perderam e pararam de tocar assim que perceberam a imobilidade dela. Ele deu um sorriso, ela rapidamente se levantou e como se estivesse diante de um fantasma, se levantou e foi em sua direção. Seus olhos espantados, mãos trêmulas, parou diante dele e com os olhos brilhando, não sabia o que fazer, após olharem nos olhos um do outro, veio um abraço desajeitado, mas que tornou-se forte.

 - Pessoal, este é o Jean! Também estudou aqui e somos da mesma época.

Os jovens, em coral, prontamente o cumprimentaram: - Boa tarde, Jean!

- Estamos ensaiando as músicas natalinas, e como o nosso maestro teve que visitar um bisneto que acabara de nascer, estou ocupando o cargo dele, afinal temos que estar prontos já para o mês que vem, no qual começa as nossas apresentações. - disse Gabriela

- É, assim que me aproximei notei que a música era natalina. Vocês estão bem afinados, pena que já parei de tocar há alguns anos. - disse Jean

- Sem problemas, temos um violino sobrando, toque conosco - pegando o violino em uma grande caixa de madeira.

Ontem, sonhara com ela e pensou neste momento durante todo dia e agora o sonho estava se tornando real. Mil coisas vieram em sua mente. Olhou em cada dedo para ver se ela estava usando alguma aliança e ficou aliviado ao ver que apenas tinha um anel utilizado por ela desde o tempo de escola. 

O que viria agora? pensou ele.

Tocando as músicas, sorria para ela, que ainda parecia espantada e sem graça.


Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

- Sem palavrões
- Deixe seu e-mail para que avise a você quando tiver respondido o seu comentário

Seu comentário é muito importante! Faça sua pergunta e irei te responder assim que possível!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...